domingo, 23 de dezembro de 2012

domingo, 16 de dezembro de 2012

Barragem de Chevril vs Barragem de Castelo do Bode

A barragem de Chevril é uma barragem de arco de gravidade localizada em Tarentaise, perto da estância de Val d’Isère, em França, sobre o rio Isère.

A barragem foi inaugurada em 1953, próximo do ano de 1951 em que foi inaugurado Castelo do Bode. Na altura da sua inauguração, esta era a maior barragem de arco de gravidade da Europa, com 181 metros de altura, mais 66 metros de Castelo do Bode, mas a grande semelhança que existe entre as duas barragens é terem o mesmo autor de projeto, o Eng. A. Coyne.

O comprimento do coroamento da barragem de Chevril é de 296 metros, a sua largura no topo é de 10 metros e na base de 43,57m. Apesar da sua maior altura em relação a Castelo do Bode, esta barragem tem um volume de armazenamento de 230hm3, cerca de 4 vezes inferior a Castelo do Bode.

A barragem foi construída para produção de energia, sendo esta a função principal da barragem nos dias de hoje. A sua produção média anual é de 814GWh, um valor bastante superior à barragem de Castelo do Bode. No aspeto hidroelétrico, esta barragem é bastante diferente de Castelo do Bode, possuindo duas centrais hidroelétricas, afastadas da barragem. Uma das centrais, a de Brévières, é constituída por 3 grupos Francis de 32MW, funcionando com uma queda de água de 233 metros. A central de Malgovert é constituída por 4 grupo Pelton, de 83MW cada, a funcionar com uma queda de água de 750m. A grande diferença de produção de energia entre a barragem de Chevril e Castelo do Bode deve-se essencialmente à grande queda útil de água nas centrais hidroelétricas de Chevril, que resultam em muita energia do escoamento.




O paramento de jusante da barragem de Chevril está coberto com um fresco, da autoria de Jean-Marie Pierret, com a representação de Hércules.
Fontes:


  • http://en.structurae.de
  • http://www.marie-tignes.fr
  • http://www.larousse.com
  • http://www.techno-science.net
  • http://www.wikipedia.org
  • http://www.tignesnet.com
  • http://www.hydrelect.info

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Pouca água a atravessar a Barragem de Castelo do Bode

Este ano, como consequência da baixa precipitação na bacia hidrográfica de Castelo do Bode, os caudais turbinados pela Barragem estão em mínimos dos últimos 10 anos.

A pouca quantidade de água que atravessa a barragem tem como consequência a redução significativa da quantidade de energia produzida. Esta redução não é exclusiva a Castelo do Bode mas reflecte um pouco do panorama hídrico a nível nacional, que durante este ano já conta com uma redução superior a 50% na energia produzida.
Desta forma a barragem de Castelo do Bode apresenta uma cota de água e um nível de armazenamento em linha com a época do ano, acima dos 70%.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Visitas à Barragem de Castelo do Bode

O projecto Ciência Viva no Verão está a oferecer a todos os interessados visitas a diversos Centro Produtores Nacionais onde se inclui o Aproveitamento Hidroeléctrico de Castelo do Bode.
As visitas serão realizadas nos dias 17 de Agosto e 15 de Setembro. Para participar terá de realizar a sua inscrição no seguinte link:


domingo, 8 de julho de 2012

1º Semestre na Albufeira de Castelo do Bode

A primeira metade do ano, na albufeira de Castelo do Bode, foi caracterizada pela baixa precipitação e consequentemente baixo caudal turbinado e menos energia produzida pela Central Hidroeléctrica. 
Ao contrário dos ano anteriores, onde a primeira parte do ano era caracterizada por uma subida da cota da albufeira, este ano a albufeira de Castelo do Bode diminuiu o seu volume armazenado até aos finais de Abril. Entre os meses de Abril e Maio, a precipitação que se fez sentir na bacia hidrográfica do rio Zêzere em conjunto com a diminuição do caudal turbinado, provocou um aumento do armazenamento da albufeira para a época de Calor onde historicamente a albufeira diminui o seu volume de água armazenado.

O caudal turbinado pela barragem foi bastante baixo durante todo o ano, nunca ultrapassando o 100m3/s de média diária. Esta foi uma das consequências da primeira parte do ano de seca, na generalidade do território Continental, que levaria ou a uma grande diminuição dos armazenamentos das albufeiras ou a uma grande diminuição dos caudais turbinados e consequente quebra da produção hidroeléctrica nacional. Esta ultima opção foi a adoptada na albufeira de Castelo do Bode, por ser uma albufeira estratégica nacional, com outras capacidades de natureza não energética. Para se ter um termo de comparação, o caudal turbinado na Central Hidroeléctrica de Castelo do Bode, durante o mesmo periodo do ano de 2011, foi 9 vezes superior ao caudal turbinado em 2012.



sábado, 25 de fevereiro de 2012

Seca ainda loge de Castelo do Bode

Portugal Continental está a atravessar um período de seca como consequência da falta de precipitação no nosso território. Durante o mês de Janeiro do corrente ano, a precipitação no território Continental foi 83% inferior à média de precipitação do mês de Janeiro dos últimos 80 anos, o que corresponde ao 7º pior primeiro mês do ano, no que diz respeito à precipitação, desde 1931. O mês de Fevereiro está a ir no mesmo caminho, com a precipitação a ser ainda inferior ao mês de Janeiro, levando alguns locais do pais a ter mesmo uma ausência completa de precipitação.
Como consequência destes baixos valores registados, no final do mês de Janeiro o país registava 76% do território em seca moderada, 11% em seca severa e 13% em seca fraca. No dia 15 de Fevereiro estes valores já estavam agravados, estando 70% do território em seca severa, 5% em seca extrema e 25% em seca moderada. Apesar destes dados serem graves, este não é um fenómeno muito raro no país. Em 1943 a região do Porto esteve 12 meses em seca severa e extrema e a região de Beja esteve 17 meses. Num período mais próximo, o mês de Janeiro de 2005 teve 22% do território em seca extrema.

A falta de chuva para além de preocupar o mercado agrícola nacional, preocupa também a população em geral devido ao abastecimento de água. Algumas barragens nacionais já começam a registar valores baixos de armazenamento de água, como por exemplo a barragem de Alto Lindoso com 37% de volume armazenado ou a Barragem do Cabril com 43%, mas a Barragem de Castelo do Bode ainda tem as suas reservas controladas, com um volume armazenado de 76%. Apesar do valor de água armazenado ser baixo para este período, no ano de 2005, neste mesmo dia do ano, o volume de água armazenado em Castelo do Bode estava nos 72% e durante esse ano de seca em Portugal o volume de água armazenado em Castelo do Bode nunca baixou dos 59%.
O abastecimento de água da Albufeira de Castelo do Bode começa a ser afectado quando o volume armazenado de água chega aos 54%, mas só fica suprimido abaixo dos 27%. Observando os valores é possível verificar que não existe qualquer risco de falta de abastecimento de água proveniente de Castelo do Bode no curto e médio prazo e que mesmo no longo prazo o risco é reduzido. Para se ter uma ideia, se a barragem de Castelo do Bode deixa-se de produzir energia e se o caudal afluente à albufeira fosse nulo, desprezando as perdas indirectas da albufeira a água armazenada daria para mais de 2 anos de abastecimento de água às populações afectas.
Portugal Continental está em seca, mas a albufeira de Castelo do Bode ainda tem muitas reservas para suprir as necessidades de água.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Temperatura da Água de Castelo do Bode

Esta semana começaram as medições regulares de temperatura da água na albufeira de Castelo do Bode e hoje, em dia de aniversário da barragem, vai começar a ser disponibilizado aos leitores os registos da temperatura. Serão disponibilizados dois valores de temperatura de água, um valor a montante da barragem (albufeira) e outro valor a jusante da mesma, na barra lateral do blog, onde se encontram os valores da cota da albufeira e do caudal turbinado.
A temperatura da água será medida com um termómetro devidamente calibrado e com uma precisão inferior a +/- 0,3ºC, a cerca de 15cm de profundidade. Do lado de montante a temperatura será medida a cerca de 10 metros da barragem, para tentar diminuir o efeito do corpo da barragem na temperatura da água e do lado de jusante a temperatura será medida a cerca de 1100 metros da barragem.


Na medição da temperatura na albufeira um dos factores que faz variar os valores obtidos é o facto da zona de medição estar exposta à radiação solar directa ou não. Segundo algumas experiência com uma "intensidade de radiação solar média" a variação de valores média é de 0,4ºC. Os registos de temperatura são efectuados ao início da manhã, numa altura do dia em que a radiação solar apresenta pouca expressão na temperatura da água.
Na medição da temperatura da água a jusante um dos factores que mais afecta a medição é o caudal efluente que atravessa a barragem. Quando o caudal que atravessa a barragem é baixo, a lamina de água a jusante tem pouca espessura e demora mais tempo até chegar ao ponto de medição, o que provoca um aquecimento da água em dias de maior temperatura e radiação solar exterior. Quando o caudal que atravessa a barragem é elevado a lâmina de água a jusante tem uma maior altura e o escoamento apresenta uma maior velocidade, criando uma maior resistência ao aumento da temperatura desde a barragem até ao ponto de medição.

A temperatura da água média, durante a semana que passou, na albufeira foi de 12,6ºC, um valor baixo típico desta época do ano. A temperatura da água a jusante da barragem, no dia de hoje, encontrava-se nos 11,8ºC.

Fotografias 21 de Janeiro de 2012





61 Anos da Barragem de Castelo do Bode

A barragem de Castelo do Bode completa hoje 61 anos desde o dia da sua inauguração.
A entrada em funcionamento do aproveitamento hidroeléctrico de Castelo do Bode, teve uma enorme importância para a redução do consumo de combustíveis fósseis, uma das grandes fontes de geração de energia eléctrica na época. A sua construção criou centenas de postos de trabalho na zona e a criação do lago artificial, que é a sua albufeira, faz da zona um pólo de turismo e lazer nacional.
Hoje em dia a barragem é considerada por muitos como uma estrutura essencial na rede energética nacional ("Qual a sua opinião acerca da barragem de Castelo do Bode").



Hoje como é um dia especial para a Barragem de Castelo do Bode, serão publicados vários conteúdos ao longo do dia.